Dash, a evolução anônima do Bitcoin

specter

Active Member
Oct 29, 2015
218
328
123
Dash, a evolução anônima do Bitcoin

A evolução do Bitcoin provocou uma revolução nas finanças e na economia. O Bitcoin define o valor do dinheiro livre de restrição do governo, valor agora que pode ser determinado unicamente pelo mercado.

Em vez de depender de terceiros centralizados para todas as transações financeiras, as pessoas podem trocar o valor ao redor do mundo de forma mais barata e totalmente descentralizada. Bitcoin inaugurou a idade do dinheiro verdadeiramente digital.

Mas Bitcoin não é toda história. Criando um dinheiro de código fonte aberto, Satoshi Nakomoto, o inventor do Bitcoin, abriu vastas perspectivas para outros explorarem. Muitos desenvolvedores assumiram o desafio ao longo dos anos, construindo sobre o fundamento que é o Bitcoin para resolver muitos problemas do mundo real. Uma dessas pessoas é Evan Duffield.

Com a experiência em desenvolvimento de software e Finanças, Duffield ficou fascinado por Bitcoin desde seus primeiros dias. Mas particularmente, ele ficou intrigado com a idéia de dinheiro digital: uma tecnologia que pode replicar as características de dinheiro físico, mas sem as desvantagens inerentes à moeda convencional.

“ Eu comecei a mexer com Bitcoin mesmo em 2011, no inicio de seu desenvolvimento. Eu decidi que queria mergulhar na “cryptographic currency”, e como todas as coisas , a melhor maneira de aprender algo novo é afundar ou nadar” (Evan Duffield ).


Como ele estudou Bitcoin mais profundamente, no entanto, ele descobriu uma fraqueza na sua concepção: a falta de anonimato. Alguns podem argumentar que o anonimato só é essencial para aqueles que desejam se envolver em atividades ilegais. Mas isto não é o caso, o anonimato é necessário por duas razões.

Primeiro, oferece privacidade a cada transação, para que ninguém possa envolver as operações financeiras dos outros. Imagine dando acesso público a todas às transações de cartão de crédito. Tais informações, além de violar a privacidade dos indivíduos, podem ser usadas para manipular as pessoas de muitas maneiras.

Em segundo lugar, anonimato torna a moeda “ fungível”, significando que cada unidade da moeda vale o mesmo que qualquer outra unidade. Se as pessoas poderiam rastrear moedas para transações e pessoas específicas, poderiam envidar esforços para “manchar” moedas. Por exemplo, se eles estavam anteriormente envolvidos em atividades ilegais valeriam menos do que outros.

Infelizmente, Bitcoin não fornece anonimato verdadeiro; cada transação é transmitida em uma blockchain pública para alguém estudar. Enquanto essas transações não são publicamente ligadas a indivíduos específicos, podem ser feitas conexões entre operações e indivíduos, com investigação judicial.

“ Bitcoin foi uma invenção notável. O conceito de “proofofwork” permitido, pela primeira vez, descentralizar consenso sobre uma rede de grande escala com nenhuma autoridade central. No entanto, devido à própria natureza da descentralização, o blockchain inerentemente não é privado. Isto tem implicações óbvias para a privacidade pessoal dos utilizadores, como todas as transações são rastreáveis na cadeia do bloco.

Duffield queria melhorar o anonimato do Bitcoin , Na grande tradição da tecnologia open source, ele decidiu criar a sua própria moeda digital um fork do Bitcoin. Ele chamou de “ Darkcoin”, refletindo o anonimato da moeda e foi lançado em 18 de janeiro de 2014.

A recepção inicial foi nada menos que notável. As pessoas perceberam rapidamente que Darkcoin resolveu um problema do mundo real da moeda digital, e o preço reflete essa realização. Os usuários voltaram-se para a moeda, e logo sua capitalização de mercado foi uma das mais altas de qualquer moeda digital.

Darkcoin superou uma série de obstáculos técnicos em seu primeiro ano, inventar uma nova forma de fazer dinheiro, não é para os fracos de coração – e se tornou uma das principais moedas digitais no mercado.

Partir das origens humildes tornou-se algo maior, talvez até mais do que Duffield imaginou. A solução técnica para a implementação de uma moeda anônima mantendo as seeds e muito mais.


“ Eu descobri uma maneira de fazer de um "motor" de anonimato descentralizado, algo que nunca tinha sido feito antes, então eu continuei a encontrar outros novos conceitos tais como financiamento descentralizado, governança descentralizada e um mecanismo de armazenamento descentralizado”. (Duffield)


Duffield criou uma segunda camada, incentive node chamado “ Masternodes” que seria a base para uma série de recursos futuros, muitos dos quais ainda não foram considerados quando Darkcoin foi criado.

Ao contrário de node do Bitcoin, Masternodes recebe pagamentos pelos serviços prestados à rede. Alguém que já trabalhou no desenvolvimento de software sabe quão importante é a base inicial de um projeto. Sem uma infra- estrutura robusta, existem limitações para o que pode ser realizado conforme o projeto amadurece.

Percepção pública foi que o nome de Darkoin refere o seu uso emn atividades ilegais, o que nunca foi a intenção do projeto. Então o nome foi alterado de Darkcoin para “Dash” . Uma forma abreviada de Digital Cash “dinheiro digital”.

“ Tornou-se aparente que a marca de Darkcoin foi ficando no nosso caminho, portanto, para cumprirmos a nossa maior missão, nós decidimos que um “rebranding” era necessário” (Duffield).

Desde a sua criação, a rede Masternode Dash mostrou- se capaz de lidar com novos recursos. Nos últimos dois anos, novos recursos de Dash continuaram a ser adicionado. Por exemplo :

  • Instant X: Para resolver o problema do tempo de atraso em transações, Masternodes são capazes de bloquear instantaneamente as transações.
  • Auto Orçamentação: Para resolver o problema da falta de financiamento para o desenvolvimento, Masternodes pode direcionar fundos da blockchain em apoio ao desenvolvimento.
  • Autonomia: `Para resolver o problema de tomar decisões de governança sobre o futuro da moeda, Masternodes pode votar sobre o desenvolvimento que ocorre.
Este é apenas o começo. Rede de Masternode da dash, permite recursos no nível do protocolo que outras moedas digitais devem empurrar para terceiros centralizados. Quase qualquer recurso pode ser descentralizado e incluído no protocolo da Dash.

A próxima fase do projeto Dash, chamado Evolution, irá introduzir um novo nível de facilidade de utilização, a um espaço que não é conhecido por isso. “ Dash Evolution” é uma plataforma de próxima geração para e-commerce puramente descentralizada”. Duffield explica “ Este sistema quando implantado permitirá baixo risco baseada em reputação e-commerce e um sistema de arbitragem completamente descentralizada que pode substituir serviços de depósito centralizado”.

Materia completa em:
http://bravenewcoin.com/news/dash-the-anonymous-evolution-of-bitcoin/
 
Last edited:
  • Like
Reactions: tungfa and studioz